Expo — No limiar da visibilidade, W. Tillmans

No limiar da visibilidade
ON THE VERGE OF VISIBILITY 
WOLFGANG TILLMANS 

De 29 de Janeiro até 25 de Abril de 2016

Fundação de Serralves

“Para a sua primeira exposição em Portugal, Wolfgang Tillmans (1968, Remscheid, Alemanha) continua a expandir as possibilidades de receção da sua obra através de um reposicionamento radical das suas múltiplas dimensões. Em Serralves, presta especial atenção ao que descreve como as suas “Paisagens Verticais”, fotografias dos fenómenos naturais da luz quando o dia encontra a noite, o céu encontra a terra, a nuvem encontra o céu. Datadas de 1995 ao presente e impressas em escalas que vão das dimensões fotográficas estandardizadas à expansão panorâmica de quatro metros, as fotografias traduzem o potencial expressivo do apurado formalismo visual de Tillmans e o compromisso do artista com a fotografia tão inerentemente físico quanto imaterial. Na sua beleza perturbadora, produzida em parte pelos avanços técnicos dos fabricantes de câmaras, em parte pela insistência dos fotógrafos em permitir que esses avanços se vejam, criam um desafio aos cânones do “cool”, dominante na cultura visual dos nossos dias.

A exposição será site-specific, respondendo ao contexto arquitetónico particular da sua apresentação no museu e à inclusão de novo material fotográfico. Aludirá também a noções de “universal” através da omnipresença do céu e da água, em que emergem vislumbres do corpo humano e de determinadas situações e lugares sociais, naturais e arquitetónicas de todo o mundo. Assumindo a forma de intervenção visual e arquitetónica em 1000 metros quadrados de galerias no Museu de Serralves, juntamente com uma sequência de instalações de obras em vídeo recentemente produzidas, a exposição promete ser um ambiente imersivo de estados liminares.
Desde que estabeleceu a sua reputação entre a juventude e a cultura dos clubes da Londres dos anos 1990, Tillmans tornou-se um dos artistas mais influentes do nosso tempo. A sua exploração contínua da fotografia enquanto meio para comunicar a realidade inspira e emociona, no seu assombro e na sua inteligência. Para Tillmans, a realidade não é apenas visual, social, económica e política, é também orgânica, corporal e fenomenal, dos corpos de amigos e familiares às constelações de cidades e plantas, às galáxias celestiais de céus noturnos e às abstrações sublimes criadas a partir do impacto da luz no próprio processo fotográfico. Se o meio fotográfico e os seus processos constituem a base da obra de Tillmans, o compromisso do artista com o lugar e o uso coreográfico do espaço e da escala constituem um mundo no qual imagens de pessoas ou lugares e registos de luz de cariz objetual são parte de um todo físico e cósmico.”
“Wolfgang Tillmans: No limiar da visibilidade” é organizada pelo Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto, e comissariada por Suzanne Cotter, diretora, com a assistência da curadora Paula Fernandes.

– See more at: http://www.serralves.pt/pt/actividades/wolfgang-tillmans-no-limiar-da-visibilidade/#sthash.y73TWlYK.dpuf

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s